TENHO VIVIDO

Postado por Elenice Bastos em 12/05/2017 22:30:02

  

Vivido e aprendido.

Aprendi a ser paciente. Aprendi a entender que na vida, tudo tem seu devido tempo. É preciso paciência. Se colocarmos o carro na frente dos bois, ele empaca. Se atropelarmos fases na vida, lá na frente, virá a cobrança.

Aprendi que as coisas acontecem e independem da nossa vontade. Podemos tentar interferir e até mudar os fatos, mas se der errado, a vida continua e segue em frente.

Aprendi que dizer “não”, pode ser, em algumas situações, a única palavra a ser dita, independente das consequências.

Aprendi que querer agradar a todos é pura bobagem, e que o mais importante é agradar a si mesmo. Tentar ser feliz e abraçar as oportunidades que a vida oferece.

Aprendi que ser amável, generoso, amigável, empático, é admirável e facilita a conviver em paz com o mundo, mas estar em paz consigo é antes de tudo, fundamental.

Aprendi que fugir dos problemas não resolve, absolutamente, nada. E, sim, os tornam ainda maiores com proporções assustadoras.

Aprendi que um pedido de perdão alivia anos de sofrimento e mágoas.

Aprendi que ouvir bons conselhos não custa nada, mas aprendi, sobretudo, que ouvir o próprio coração, nos torna pessoas mais felizes e realizadas.

Aprendi que ter arrependimentos faz parte da vida, é inerente ao ser humano. Mas que é muito melhor se arrepender por uma tentativa errada, do que se arrepender por nunca ter tentado.

Aprendi que um sonho pode se tornar real, quando acreditamos e lutamos por ele.

Aprendi que a beleza da alma dura para sempre.

Tenho aprendido que cada ser é único. E carrega consigo seus dramas e comédias, suas dores e alegrias e que não cabe a ninguém julgar o outro.

Aprendi a caminhar devagar, observando, sentindo os aromas, sentindo as pessoas...de apressado, já basta o tempo.

Aprendi, enfim, que a vida é um eterno aprendizado e, que por mais tempo que vivamos, nunca será tempo suficiente para tudo que ainda nos resta para aprender.

 

Elenice Bastos.

Imagem: Night Tango em Paris.(Denis Nolet, 1964).

 

MARCADORES:

Vida aprendizado experiência crescimento interior amadurecimento