QUEM ME DERA...

Postado por Elenice Bastos em 02/07/2017 13:45:01

 

 Quem me dera poder curar ou ao menos, amenizar a dor e o sofrimento que assolam os dias, os meses, os anos dos menos favorecidos financeiramente, dos doentes do corpo e da alma, dos miseráveis, dos esquecidos, desprezados e injustiçados pelos quatro cantos do mundo.

O sofrimento, a dor, a doença, a fome, e tantos outros males, infelizmente, existem e insistem mundo afora, todos os dias, todos os meses, em todos os anos e em todas as estações. Seja no frio cortante que congela, seja no calor ardente que derrete a esperança dos famintos e sedentos nos sertões de solos rachados do interior do nosso país.

O porquê do sofrimento, ainda nos é um grande mistério. Por que alguns nascem perfeitos e outros, doentes? Por que alguns chegam a esse mundo em berço de ouro e outros numa caixa de papelão? Por que alguns choram, enquanto outros dão risadas?

Enquanto não chegam as respostas, tudo que podemos fazer é olhar a nossa volta e tentar o que estiver ao nosso alcance para amparar e aliviar a dor do próximo. Sim é pouco, quando o problema possui dimensões incalculáveis. Porém, enumerar, apontar, e lamentar o sofrimento alheio não basta. É preciso colocar em prática a compaixão e solidariedade. É preciso agir!!

De quem será a culpa? Será que existem culpados pela miséria e sofrimentos alheios? Culpa dos governantes? Do destino? Será a Lei do Karma? Bem, alguns abençoados, evoluídos, iluminados, talvez, tenham respostas para essas e tantas outros questões. Eu ainda tento entender. Mas nem por isso, deixo de apreciar as coisas belas da vida. Faço a minha parte para o alívio do sofrimento alheio, no entanto, acredito que olhar a vida pelo lado positivo, vivendo seu lado bom, desfrutando o que de melhor ela pode nos oferecer, nada tem de errado. É somente, o resultado do seu esforço, da sua dedicação. É a Lei do Retorno, o troco por viver uma vida honesta às custas do seu próprio esforço.

 

Elenice Bastos.

 

 IMAGEM: Arte na Cara (Comunicação Visual).

 

 

MARCADORES:

Solidariedade compaixão questionamentos vida mistérios