Ao Viajante

Saí de onde permaneço

Postado por Joao Almeida em 27/11/2017 08:06:20

Sería este um texto como um outro qualquer

não fosse, calha, a dimensão emocional que a ele se comporta,

uma longa estadia em mim, em lugares de mim, 

dentro de mim,

que permanecem e residem,

e a que eles me reporto, 

e a que eles me conforto,

dizem-nos as teorias psicólogicas,

que o melhor será ter esses lugares bem reservados dentro de nós,

que o melhor será esses lugares serem sentidos como lugares acolhedores de nós,

ou seja, tenho em mim os meus familiares e amigos, tenho essas representações,

mas,

tenho, de certeza ter, que essas pessoas me têm e levam com elas, que me pensam e me sentem,

será este movimento,

movimento de ter, e constituir o ser,

num espaço, 

tempo,

lugares,

familia,

amigos,

referências,

que a identidade se vai constituindo,

que o ser se vai nutrindo,

que o ser se vai transformando,

que o ser se permite ser

 

Como dizia uma pessoa, "que se saiba gastar bem a vida".

 

MARCADORES:

Identidade viajar vida