Querida mamã

Tenho saudades tuas

Postado por Joao Almeida em 17/01/2018 08:54:06

Querida mamã,

Escrevo-te esta carta, porque se calhar nenhuma outra fazia sentido,

Sinto falta de algo, talvez de ti, talvez da tua presença, talvez das tuas palavras,

Sinto falta que me aconselhes, sinto falta que nos aconselhes, sinto falta de sentir a tua falta,

Porque quando se sente a falta, penso que quererá dizer que sinto que já não estás por cá,

Talvez não estejas mesmo,

Talvez tenhas ido por outros lugares e por outros caminhos,

Mas em todas as medidas sei que por algum motivo eu te relembro,

Te elembro como quem relembra quem já não está por cá,

Talvez saiba a dor que esta ausência me provoca, talvez saiba que todos os dias me levanto e sei,

Que assim não resides,

Pelo menos na tua presença física,

Onde te possa ver,

Onde possa confirmar que assim o estás por cá,

Sei que não te volto a ver,

E por isso, talvez envie esta carta numa garrafa que se vá com as ondas do mar,

E que me traga a breve maresia, salpicando com raios de sol quentes

Na eira do lugar onde outrora nos víamos tanto,

Num lugar, quem saiba perfeito, onde recolher e onde me sentia bem,

Sei que partiste, mamã,

Nesse teu breve suspirar,

Sei que nesses momentos eu disse,

Nunca pensei que a viagem fosse tão difícil,

Porque tenho saudades tuas mamã,

Tenho saudades tuas…

E de certa forma, sinto que um caminho meu também se perdeu, porque fiquei sozinho,

Porque sinto tanto a tua falta mamã,

Sinto a tua falta…

Tanto, que por vezes nem sei pô-la por palavras,

Talvez esta seja a minha forma de te dizer que compreendo que te tenhas ido,

Tenho saudades tuas e agora fazia uma birra só por não te ter por cá,

Por me fazeres sentir assim, e por ser tão lastimoso, duro e frustrante ficar num lugar sem aqueles que mais amamos do fundo coração,

Daqueles que mais amamos e que, de certa forma, sentimos tanta falta,

Sentimos tanta falta de sermos felizes com quem nós gostamos,

Talvez não tenhas sido perfeita, mas mamã, talvez fosse bom ter um pouco dessa tua imperfeição agora,

Que te foste,

Sei que não voltarás mais.

Sei que esta crata vai carregada daquilo que neste momento sinto, que sinto, e sei que sinto,

A falta de ti,

Desta carta, sei que fala a criança que ainda reside em mim, e que faz com que não nos vejamos mais,

Ser uma tormenta tão grande,

Mas…

Estás ainda presente no meu pensamento, ainda nas minhas palavras,

Ainda no amor que tínhamos, e temos, e tenho,

Longe um do outro,

Mas tão perto,

Uma impossibilidade que penso ser possível.

Uma impossibilidade com a qual tenho de conviver diariamente,

Mas faço-o por mim, e por todos quanto aqui os tenho comigo,

E, olha, de vez em quando a minha criança volta, o que queres fazer,

Tenho saudades tuas,

Tantas,

Quantas as estrelas existem no céu,

Tenho saudades tuas,

Mamã,

Que eu tanto estimo e adoro,

 

Até já.

 

 

 

MARCADORES:

Amor Mamã Saudades