Humanidade ou animalidade?

A animalidade e a humanidade residem igualmente no homem. Que caminho estamos escolhendo?

Postado por Tais Hagenbeck em 25/10/2017 16:53:31

São tantas notícias ruins que nos assombram e que nos fazem ter medo da humanidade. A constatação da animalidade humana é todos os dias exposta sem censura ou comiseração. Estampa as capas dos jornais servindo de estopim para o ódio e a desesperança. Ataques, tiros, abusos, provocações, assédios, roubos e insultos de todas as formas, por todos os lados e sem distinção de credo, de raça, de sexo e de classe social. É a proliferação gratuita da animosidade e a excitação pelo mal. É a desvalorização da vida alheia para favorecer a si próprio numa busca incessante de autoafirmação e supervalorização. É a urgência em dissipar os fantasmas internos e expurgar os próprios medos espalhando o terror. O ciclo vicioso e perigoso que viraliza e empobrece a humanidade. Não nos compadecemos mais, ao contrário, endurecemos e nos desumanizamos encharcados de revolta. Atiramos injúrias e promessas de vingança nos igualando ao ofensor com a certeza de sermos melhor. Roubamos a crença num mundo mais digno e depositamos em nossas crianças os pesos de nossas frustrações, a maldade em forma de defesa, a normalidade isenta de culpa e o discurso inflamado por uma moralidade perversa. Dá a impressão de estarmos perdidos num vale de sombras, onde nada floresce e todas as cores empalidecem diante dos horrores assistidos. Quando vamos acordar desse pesadelo? Não sei ao certo, mas acredito que o bem precisa ser propagado. Necessário se faz mostrar a cara do bem. A paz em forma de gente, gente que não sente vergonha em ser generoso. Gente que cuida de si para não se perder da bondade e que cuida da gente ao seu redor e com isso adquire mais compaixão. Gente de todas as tribos que faz o bem sem olhar a quem. Gente que se mistura com todas as gentes em prol de boas causas. Gente que faz do pouco que tem o tudo para alguém. Gente que tem muito e consciente que é partilha com muitos alguéns. Gente que luta com as armas do amor e faz a gente se sentir bem. Essa gente valente escondida por aí é que precisa ser notícia e aparecer para espalhar o bem. Gente que pode ser eu ou você, gente que vendo a gente pode se tornar como a gente. E de gente em gente o bem será multiplicado e todos serão beneficiados. Gente com humanidade que faz do mundo um lugar melhor.

 

Taís Hagenbeck

Foto de arquivo pessoal

 

MARCADORES:

humanidade animalidade comportamento ser social psicologia