Pra Você Dar O Nome

Postado por Luíza Maira Silva em 23/06/2017 14:45:01

Eu tento me ocupar com qualquer coisa. Útil ou inútil. Mas sua ausência grita comigo toda manhã, enquanto eu tento não escutar. Ainda não sei se me arrependo de você. Até você chegar, eu estava acostumada a lidar com todo tipo de babaca. Mas você veio só pra me mostrar que eu ainda não tinha conhecido todo tipo de babaca. Você é um babaca que faz falta pra caralho. Um babaca que me ensinou um monte de coisas. E em todos os homens que tive depois de você, tentei encontrar qualquer característica tua, em vão. Todos eles tinham o mesmo defeito: não era você. Embora eu já não esteja mais no oco do mundo de um fundo de poço, ainda estou no oco do silêncio da sua ausência. Sim, eu já estive pior. Essa ausência que já me causou febre, hoje não me é mais tão nobre. Já não lhe tenho os melhores votos de felicidade, já não peço aos deuses que observem os seus passos. O que era fogo, já não arde. E não ardendo traz o incômodo de queimar sem sentir. De estar perto e fora de alcance. Tenho morado nesta confusão presente na linha tênue entre a paixão e o desdém. Sinto saudade e nem me lembro de quê, tamanha é a ausência. Já não me lembro da cor dos seus olhos, mas dos seus olhos fechadinhos pelo embalo de um cafuné. Sinto saudades e não sei porquê. Por já não estar. Por já não ser.       

 

MARCADORES:

ausência relação relacionamento mudanças perdas ilusões