Por favor, fale baixo. Quero descansar.

Desacelerando

Postado por Marisol Drummond em 17/11/2017 08:29:55

Como todo mundo, eu também tenho medo.

Quero desvanecer. Fugir. Chorar. Gritar. Silenciar. Vontade de não ter vontade.

Coraçãozinho apertado, pequeno. Tristeza miúda. As desesperanças sentam e tomam chá comigo. Eu falho. Fraquejo, caio.

Tempos de não querer ser encontrada. Escondo-me atrás da porta. Não leve em consideração, não é nadinha, não. São momentos, eles passam.

Eu escuto as minhas dores, elas falam comigo. Mas elas viajam, vão embora. É o cansaço.

Desacelero, sim, até eu. Uma mulher invisível. Escolho as minhas lutas, mas elas também me despedaçam, destroçam, rasgam. Vitórias tem preço, saiba.

Sou sol, manhã de claras nuvens, quase sempre... mas preciso às vezes ser noite, sem lua e sem estrelas. Preciso anoitecer, pôr-do-meu-sol.

Dormir é preciso, horizontalizar mesmo. O dia vem. Sigo para ele. Em um passo mais cadenciado, mas lento e mais relaxado. Debussy em um piano, ralentando. Descansar de minhas intensidades. Isso deve bastar. 

 

MARCADORES:

Descanso fuga cansaço fôlego