Mudança

Postado por Daniel Gomes em 28/04/2014 18:55:24

O que te move?

Seria uma pessoa? Uma doença? Seu pai ou sua mãe? O que te faz tão motivado a se acordar todos os dias pela manhã e seguir em frente? Seu trabalho? O dinheiro? Seus amigos quem sabe?

Talvez esta seja a maior pergunta que todos nós fazemos para nós mesmos! O que nos move? Sempre que paramos para pensar em nosso dia ou quem sabe nos últimos anos de nossas vidas, muitos de nós ou posso afirma com bastante certeza TODOS NÓS, nos deparamos que não fizemos absolutamente nada que mudasse o mundo em que vivemos! Ajudar uma pessoa, ser amigo de alguém ou tratar bem a quem nos quer bem, ser educado com uma pessoa que não gostamos, ajudar alguém quando se está passando por dificuldades, isto para nós são coisas básicas que seguimos, está no nosso DNA. Fazem parte de nós estas virtudes (se assim posso chamar). Mas quantos de nós aqui já acordou pela manhã com uma força de vontade tão monstruosa de se olhar no espelho e dizer “Hoje eu vou mudar o mundo”. A verdade que estamos muito acostumados a sempre receber tudo com facilidade e o comodismo é crescente e notório entre a sociedade. A tecnologia teve grande “culpa” (por assim dizer) devido a tantos recursos que estão ao nosso alcance, muitos de nós esquecemos os valores que estão implantados em nós, e nos deixamos levar por uma vida onde não vivemos, nem descobrimos nada!

Nos levantamos e ao irmos para o trabalho muitos de nós reclamamos pelo ônibus está cheio ou por ter perdido-o, começamos a reclamar porque o trânsito está caótico, ou porque começou a chover muito forte e não trouxemos o guarda chuva (bendito guarda chuva) em média a maioria de nós gastamos cerca de 2 horas para chegar até nossos trabalho e quando chegamos ao trabalho e passamos mais 8 horas discutindo números, problemas, soluções, escutando reclamações do chefe ou de algum cliente, chegando ao final do dia quando enfim podemos descansar, enfrentamos mais 2 horas (ou mais de trânsito) para poder enfim chegar em casa. Mas alguns de nós decidiram ir buscar um futuro melhor, ao invés de irmos para casa descansar vamos para a faculdade, lá passamos mais 3 ou 4 horas escutando o professor explicar sobre teorias e práticas que devemos aplicar em nossos trabalhamos para que possamos ganhar um  reconhecimento do “politicamente correto” e porque vivemos em uma sociedade a base da meritocracia. Chegamos em casa por fim, vamos nos dedicar mais um pouco ler alguns livros ou simplesmente nos deixamos levar pela exaustão. Ou seja, gastamos em média 16 horas (ou mais) do nosso dia pelo o “mundo a fora” e voltamos para casa sem nada!

Sabe, não estou dizendo que a parte do “politicamente correto” esteja errada. Estou querendo lhes mostrar que, de tanto vermos nossos pais, tios, primos e afins, fazer esta rotina diariamente, nosso cérebro interpreta como se isto tudo fosse normal. Que para ser notado temos que ser todos iguais. E graças ao comodismo, nossa sociedade se tornou estagnada. Imagine da seguinte maneira, em pleno final de semana você não pode sair porque seus pais lhe deixaram de castigo, e seus amigos lhe chamam para brincar no parque, jogar bola ou dar uma volta de bicicleta, daí você responde o seguinte “não posso meu pai me deixou de castigo!” a primeira reação de um bom amigo é rir e falar que você só faz coisa errada. Assim estamos sendo criados. Somos adultos, mas vivemos presos de nós mesmos, reféns de nossas rotinas e de nossas vidas sem novidade, sem rumo. Estamos num castigo infinito, onde não queremos nos perdoar com o PAI para que possamos sair e brincar com os nossos amigos. Estamos todos os dias olhando o tempo passar e passar, e enquanto os “esquizofrênicos paranóicos” os vulgos “loucos” riem de nós por não poderem sair para brincarem com eles! Isaac Newton, Galileu, Freud, Einstein, todos eles grandes gênios do passado, enquanto nos sabemos apenas olhar para algumas frases deles e admira-las, eles se enojam de nós. Pois não temos atitudes de se levantar e criar algo que mude o rumo deste mundo e a filosofia da sociedade comodista como eles mudaram.

Existem alguns que conseguem acender em si uma fagulha de atitude, mas logo deixam que ela se apague. Outro de nossos problemas hoje são os “vampiros”, parasitas que não conseguem ter uma vida boa ou criar novos estilos ou não conseguem sonhar, e acabam sugando de nós os nossos sonhos e nos colocando os pés onde não se tem chão! Santos Dumont não queria isto, ele gostava de sair do chão. Imaginava uma possibilidade de voar junto com os pássaros. E não deixou que os parasitas o trouxessem de volta ao chão. E hoje ele sobrevoa todos os dias por sobre nós.

Não podemos nos deixar vencer por qualquer desafio, devemos ser movidos pela fagulha do conhecimento e do descobrimento. Devemos ser o que ninguém é, devemos mudar a rotina e acrescentar em nós todos os dias novas rotas e novos caminhos que nos possibilitem a chegar onde almejamos ou onde sonhamos em está. Disse uma vez um de meus memoráveis admiradores “Se você pode sonhar você pode fazer” – Walt Disney. Ele não estava errado. Eu sempre sonhei em poder desenhar melhor, me lembro de quando assisti pela primeira vez O Rei Leão, fiquei admirado com o desenho que se movia, fiquei fascinado que mãos humanas pudessem ter feito algo tão lindo (e com cores). Corri para meu quarto e fui tentar desenhá-lo, fiquei frustrado porque não tinha conseguido converter toda aquela imagem para o meu caderno. Decidi então assisti todos os dias o Rei Leão e toda vez que terminava o filme ia correndo tentar desenhar. Até que um dia consegui fazer um desenho semelhante, fiquei orgulhoso de mim, descobri ali que poderia desenhar outras coisas se eu quisesse, ou até mesmo criá-las, e que bastava querer. Desde então levo comigo esta frase “Se você pode sonhar você pode fazer”.

Não deixe que ninguém te impeça de lutar, não deixe que ninguém “sugue” seus sonhos, sempre lhe permita uma nova oportunidade, se a vida não lhe conceder uma oportunidade corra, faça, mas jamais desista. Pois o fraco é aquele que desiste sem ao menos ter tentado 100000000 vezes! Você não é diferente dos demais. Se te falta um braço use o outro, se não tem braços use os pés, se não tem pés, use a cabeça! Mas lembre-se nunca deixe de usar nada que DEUS lhe deu. Você tem todas as armas, está pronto para o combate, então saia e lute pelo seu ideal, pelo seu futuro e mostre para os demais que não acreditam que você ou que aquilo não é possível, e que tudo é POSSÍVEL AO QUE CRER.

E Lembre-se: Vamos mudar o mundo!

 

 

MARCADORES:

Madruga Nostálgica música chamito