Regra 32: Aproveite as pequenas coisas da vida

Postado por Pedro Silveira em 18/04/2017 14:00:05

Em algum momento da vida todos nós começamos a filosofar. "Qual o sentido da vida?", "Por que estamos aqui?".

Quando somos mais jovens muitas vezes não temos o menor interesse nesse tipo de pensamento. Vivemos a vida seguindo o caminho normal de qualquer um. Quando crianças, vamos para a escola, fazemos os deveres e passamos o dia brincando. Quando adolescentes, passamos metade do dia não fazendo nada, metade estudando. Na faculdade, gastamos as horas entre estudo intenso e algumas festas aqui e acolá. Quando começamos a trabalhar, passamos os dias trabalhando e se estressando.

Viver pode tomar muito tempo da nossa vida. Os dias atarefados podem nos deixar sem tempo para pensar na vida. Mas pensar na vida e fazer divagações filosóficas como as citadas no começo do artigo são essenciais para curtirmos nossa existência na Terra.

Algumas pessoas vão pensar sobre essas coisas apenas quando estão perto da cova. Outras viajam nestes pensamentos já perto dos 20 anos. Hoje em dia vejo que estes momentos de reflexão são responsáveis diretos para o crescimento pessoal e para a felicidade verdadeira de qualquer um.

"Qual o sentido da vida?" sempre foi a minha pergunta favorita. É uma pergunta que gera discussões há séculos e para a qual não há uma resposta certa. Cada um acha (ou não) uma resposta que se encaixa melhor na sua própria realidade. Mas uma das conclusões mais plausíveis é de que a vida não tem um sentido final. O sentido da vida é o viver por si só. É o percurso que traçamos. É ser feliz enquanto se está vivo.

Se você pensa que a vida terá um sentido no final, um fechamento, uma realização, está enganado. Não há nada no fim, fora o seu caixão. A única coisa que há são os momentos que você vive entre o agora, enquanto lê este artigo, e a hora da sua morte. Sabe quando você vê histórias de gente que trabalhou a vida inteira pra poder se aposentar com segurança financeira na velhice, mas depois se arrependeu? O porquê de eles se arrependerem é simples: a vida foi feita pra ser vivida agora, não depois. Não há nada no final, nenhum grande acontecimento que vai fazer tudo valer a pena. O que vale é ser feliz aqui e agora.

Não é preciso vender tudo o que você tem e torrar a grana para ser feliz, não é preciso largar tudo e ir dançar pelado na chuva como se não houvesse amanhã. O ponto é que a vida não é feita de grandes momentos, incríveis realizações. São poucos momentos deste tipo que você terá na memória lá na frente. A vida é feita de pequenos momentos, de coisas que deveriam nos fazer feliz todos os dias. 

Um sorriso de alguém que você gosta, o cheiro do seu café de manhã, um elogio de um desconhecido, um frio na barriga, um lindo pôr-do-sol, a euforia depois de algo que deu certo, deitar em lençóis limpos, se perder no tempo lendo um livro. Se não nos permitirmos a felicidade genuína quando nos deparamos com coisas pequenas que gostamos, não estamos sendo felizes o suficiente. Você não vai ter um filho todo dia, não vai fazer coisas incríveis todo dia, não vai ganhar na loteria todo dia (provavelmente nunca). Esses momentos são raros e portanto não devemos confiar a eles a chave para a nossa felicidade.

A Regra 32 do filme Zumbilândia: Aproveite as pequenas coisas!

 

Muita gente por aí não consegue esquecer dos problemas, está sempre preocupada com o futuro. Claro que essas são coisas importantes de se pensar. Porém, o que acontece se você mentalizar apenas a conta que você tem que pagar e esquecer que está tomando um café da tarde delicioso com gente que você ama? Deixando de enxergar as pequenas coisas da vida, não estará aproveitando o seu viver por completo.

Se você fosse morrer amanhã, daria mais valor para o seu carro adquirido com tanto esforço ou para o sorriso da sua mãe? Para a pressão de fazer tudo certo na empresa e ser promovido daqui a alguns anos ou para um almoço gostoso, um bom papo com seu melhor amigo, uma brisa fresca num dia quente?

Aproveitar as pequenas coisas da vida é dar atenção para coisas simples que nos dão prazer. É ter gratidão e ficar feliz por aquelas coisas que normalmente deixamos passar despercebidas. Nada disso vai prevenir que coisas ruins aconteçam com você. A vida é difícil e coisas ruins acontecem. Mas saber dar valor para essas pequenas coisas te fará uma pessoa mais tranquila e feliz.

"Aproveite as pequenas coisas da vida, um dia você perceberá que elas eram as grandes coisas"

 

Se esperarmos sempre por grandes momentos, podemos passar uma vida de deslocamento, inadequação e infelicidade. Se você não aproveitar as pequenas coisas, o que sobra além de pressão e problemas do dia-a-dia?

Uma pessoa que se permite ser feliz apenas com grandes realizações poderá contar nos dedos os momentos de felicidade na vida. Já uma pessoa que se permite ser feliz pelas pequenas coisas estará feliz na maioria do tempo. Praticamente em qualquer situação, achará algo para comemorar, um motivo para sorrir.

O que você prefere?

 

Texto originalmente publicado em: "Regra #32: Aproveite as pequenas coisas da vida"

 

MARCADORES:

vida felicidade