Insignificantemente importantes

Postado por Pedro Silveira em 26/06/2017 13:15:01

Quanto mais sabemos sobre o universo, menores nos sentimos.

Você é apenas uma entre 7 bilhões de pessoas que habitam o planeta Terra nesse momento. 7 bilhões, é muita gente. Para efeito de comparação, imagine que a Mega Sena de final de ano acumulou por uns 50 anos. Quando o incrível prêmio final de 7 bilhões de reais saiu, você ganhou apenas 1 real de toda a montanha de dinheiro. 1 mísera moedinha de real. É isso que você é no mundo. E até 2050 seremos não 7, mas 11 bilhões de pessoas.

Isso somente no nosso planeta. Não encontramos vida em outros ainda, mas só no Sistema Solar são mais 7 planetas além da Terra. Só Júpiter é mais de mil vezes maior que a Terra. E o Sol então? Caberiam pelo menos 1 milhão e 300 mil Terras dentro dele.

Por falar na nossa linda estrela maior, o Sol é apenas uma entre ao menos outras 100 bilhões de estrelas estimadas na nossa linda galáxia, a Via Láctea. Aliás, você já viu aquelas fotos com longa exposição da Via Láctea à noite? É uma coisa maravilhosa de se ver.

Essa coisa enorme que é a nossa galáxia, com ao menos outras 100 bilhões de estrelas como o Sol, é também uma entre ao menos outras 100 bilhões de galáxias no universo. Isso mesmo! Fazendo as contas, chegamos a conclusão de que o nosso Sol é apenas uma entre 100 bilhões de trilhões de estrelas no universo. E ainda tem gente que não acredita em vida fora da Terra!

Somos minúsculos no Universo, isso é claro. Mas e daí? Calma, vamos chegar lá.

Todos esses são apenas representativos do nosso universo observável. Isso quer dizer que em toda a história da humanidade, os melhores cientistas e estudiosos que já existiram não conseguiram bolar uma forma de enxergar além destas 100 bilhões de galáxias. Isso porque nos 13,8 bilhões de anos de existência do universo, a luz de outras galáxias mais distantes ainda não teve tempo de chegar aos nossos olhos.

E se houverem outros universos? Esta é uma teoria amplamente aceita por alguns dos cientistas mais renomados do mundo. Ao invés de trabalharmos com a ideia de que somos o único universo existente, poderíamos ser apenas um entre outros sabe-se-lá-quantos bilhões de universos. Quão grande é o cosmos? Alguns acham que é infinito. E você aqui, na frente do seu computador, é menos do que um grão de areia. É um átomo, ou um mero próton, no meio disso tudo.

Você, eu e todos que você conhece somos insignificantes no panorama geral das coisas. Completamente irrelevantes. A Terra, o Sol: irrelevantes. Nossa galáxia: irrelevante.

Mas trazendo um pouco a visão do longínquo infinito para a realidade que nos cerca, vemos que cada uma dessas insignificâncias é muito importante para as outras insignificâncias que estão por perto.

O Sol não é nada, mas sem ele como estariam os planetas do Sistema Solar? A Terra certamente não existiria, ou estaria completamente morta. Você não existiria. O Sol nos dá vida, faz a Terra acontecer. De forma similar, o que seriam dos seus amigos e familiares se você se fosse? O quanto de impacto você não tem na vida de cada uma dessas pessoas? O quanto você não interfere em tantas outras vidas só com uma conversa, um sorriso, uma trombada na rua sem querer? Se você não existisse certamente haveria um impacto nas pessoas próximas, na sua faculdade, no seu trabalho, no seu bairro. Você é importante para outros que estão conectados com você.

E na internet a lógica é exatamente a mesma.

- Você está nesse momento visitando um site dentre outros 1 bilhão de sites existentes no mundo virtual.
- Cada vez que você entra no YouTube, está assistindo apenas alguns minutos de 1 bilhão de horas de conteúdo visto por dia - isso dá 114 mil anos de vídeos sendo assistidos todos os dias!
- Só no Google são feitas 3 bilhões de buscas todos os dias.
- A cada segundo são enviados 2 milhões e meio de e-mails (tudo bem que a maioria deve ser SPAM).

Ou seja, na internet você também não é nada. No grande mundo virtual, qualquer ação que você tome é completamente insignificante no panorama geral das coisas. Eu escrevendo esse texto aqui é a mesma coisa: completamente irrelevante. Um só indivíduo não é nada, mas ao mesmo tempo representamos muito uns para os outros.

No cosmos ou na internet, somos minúsculos e insignificantes, mas se um não existisse algo estaria incompleto, faltando. Por menores que sejamos, somos partes importantes dentro da realidade em que estamos inseridos.

É assim que gosto de pensar cada texto postado aqui. Somos 1 site entre 1 bilhão, você é uma pessoa entre 7 bilhões, mas somos importantes uns para os outros. Esperamos ter um impacto positivo, mesmo que pequeno em cada um que lê. Assim como não seríamos nada sem cada indivíduo que acessa a revista.

Como uma célula, somos minúsculos em relação ao corpo, mas temos nosso papel na construção de um tecido, mantemos outras células juntas e vivas. Completamente insignificantes no panorama geral das coisas, absurdamente importantes uns para os outros. Esse é o resumo da nossa existência.

 

dois bits

 

 

MARCADORES:

vida universo existência