redacao @ hierophant.com.br terça, 06 de dezembro de 2016

Produzimos uma Cultura de Devastação - José Saramago


Saramago

Todos os anos exterminamos comunidades indígenas, milhares de hectares de florestas e até inúmeras palavras das nossas línguas. A cada minuto extinguimos uma espécie de aves e alguém em algum lugar recôndito contempla pela última vez na Terra uma determinada flor. Konrad Lorenz não se enganou ao dizer que somos o elo perdido entre o macaco e o ser humano. Somos isso, uma espécie que gira sem encontrar o seu horizonte, um projeto por concluir. Falou-se bastante ultimamente do genoma e, ao que parece, a única coisa que nos distancia na realidade dos animais é a nossa capacidade de esperança. Produzimos uma cultura de devastação baseada muitas vezes no engano da superioridade das raças, dos deuses, e sustentada pela desumanidade do poder econômico. Sempre me pareceu incrível que uma sociedade tão pragmática como a ocidental tenha deificado coisas abstractas como esse papel chamado dinheiro e uma cadeia de imagens efêmeras. Devemos fortalecer, como tantas vezes disse, a tribo da sensibilidade...

José Saramago, em 'Revista Universidad de Antioquia (2001)'


Artigos semelhantes TODOS POSTS
Praesent lectus orci

PELA METADE photo

  Não há vida comum para um poeta, pois cada poema é uma transfiguraçãoÉ uma espécie de continuidade para o entendimento [...]
Praesent lectus orci

Mandar é respirar photo

Mandar é respirar, não é desta opinião? E até os mais deserdados chegam a respirar. O último na escala social tem ainda o cônjuge [...]
Praesent lectus orci

Eu Simplesmente Amo-te - Pablo Neruda photo

Eu amo-te sem saber como, ou quando, ou a partir de onde. Eu simplesmente amo-te, sem problemas ou orgulho: eu amo-te desta maneira porque não conheço qualquer [...]
Comentários