Fóssil de 520 milhões de anos apresenta sistema nervoso mais complexo do que o esperado

Postado por Dr. Science em 16/10/2012 12:20:34

Uma criatura fossilizado encontrado no sudoeste da China é uma descoberta paleontológico importante: trata-se de restos do cérebro de um artrópode, o mais antigo já encontrado. É um fóssil com aproximadamente 520 milhões de anos de idade, e possui um sistema nervoso complexo que é anscestral aos insetos, centopéias e crustáceos.

O espécime encontado (Fuxianhuia protensa) possui cerca de 7 centímetros de comprimento. A espécie viveu durante o período Cambriano, antes das modernas linhagens de artrópodes evoluírem. O fóssil mostra que F. protensa tinha um cérebro composto de três seções que se encontram na frente do intestino do animal. Essa é a mesma configuração vista hoje em insetos, caranguejos, lagostas e muitos outros artrópodes. A descoberta foi relatada pelos pesquisadores na Nature de 11 de outubro - 2012.

"Foi muito fascinante e muito emocionante", afirma Nicholas Strausfeld, um neurocientista da Universidade do Arizona. "Isso sugere que a organização que vemos no cérebro de modernos artrópodes é muito antiga."

Os cientistas pensavam que artrópodes primitivos tinham cérebro mais simples, como os de pulgas de água modernos, camarão-fadas e outros crustáceos de água doce minúsculos (branchiopods).

"Com este cérebro Cambriano complexo, temos de repensar a nossa interpretação atual", diz Steffen Harzsch da Universidade de Greifswald, na Alemanha. Os ancestrais dos branchiopods provavelmente tinham um cérebro mais complicado inicialmente e mais tarde sofreram algum recuo evolutivo, diz ele. "Muito provavelmente o cérebro de branchiopods, os quais são filtradores, foi simplificado, em resposta ao seu estilo de vida."

Como alternativa, o estilo de cérebro do F. protensa pode não ter sido a norma para os artrópodes primitivos. O animal pode ter evoluído de forma independente um cérebro complexo que lembra as espécies modernas, tornando-se um caso de evolução convergente. Strausfeld e seus colegas estão agora à procura de mais restos de cérebros em fósseis cambrianos para ver se outros artrópodes antigos também tinham sofisticados sistemas nervosos.


O antigo artrópode Fuxianhuia protensa (espécime quase intacto) viveu no período Cambriano cerca de 520 milhões de anos atrás. O tecido cerebral preservado no fóssil (no detalhe) sugere que artrópodes já possuiam complexos sistemas nervosos no início de sua história.
X. Ma/Natural History Museum, inset: N. Strausfeld/Univ. of Arizona

fonte: sciencenews

 

MARCADORES:

Fuxianhuia protensa fóssil artrópodes cérebro período cambriano história